Vermelho Amargo foi o primeiro e único romance dito “adulto” de Bartolomeu Campos de Queirós. Autobiográfico, o texto que traz um narrador em primeira pessoa que revisita a dolorosa infância, marcada pela perda da mãe, substituída por uma madrasta indiferente. O livro ganha agora sua primeira versão teatral, dirigida e adaptada por Diogo Liberano (que também atua), com colaboração de Vera Holtz. Trata-se do primeiro espetáculo da Companhia Aberta, formada pelos atores Davi de Carvalho e Daniel Carvalho Faria. “O romance Vermelho Amargo aborda o exílio de um filho e se permite nomear os sentimentos inomináveis”, diz Davi de Carvalho.

O processo de criação da peça partiu de uma indagação: como encenar a poesia de Bartô sem fechar os sentidos que ele abre? Ou seja, como trilhar, nos palcos, o mesmo caminho da poesia do autor que está nos seus livros? “Nosso processo foi buscar como encenar poesia no teatro. Mais que isso, pensamos: o que estamos fazendo não é bem uma peça de teatro. Talvez seja um poema audiovisual. Buscamos uma encenação que não fizesse do autor um mero drama. Não é obra para sentir pena”, explica o diretor Diogo Liberano.

Vermelho Amargo é uma narrativa polifônica, que aborda sentimentos íntimos, vivências familiares, o passado, o amadurecimento brutal de um homem, memória, morte, fé, ausência. A encenação apresenta o trajeto de amadurecimento dessa criança assustada pela ausência da mãe e também pela imagem recorrente ( e impregnada de significados) de como sua madrasta cortava o tomate para as refeições da família. A partir da morte da mãe, o menino faz-se homem e adquire olhos para ler o mundo e toda a complexidade da vida numa história de superação por meio da poesia.

Feito a várias mãos, o espetáculo contou com a colaboração de Vera Holtz. Amiga de Bartolomeu há muitos anos, Vera foi recrutada pelo próprio para participar da primeira transposição do romance para o teatro. “Daniel, Davi e Diogo são três jovens alegres, motivados e apaixonados. A aproximação com eles foi uma encomenda de véspera. ‘Cuida deles para mim, Vera’, sugeriu Bartolomeu  e riu da inesperada ideia de encenar Vermelho Amargo.”, conta Vera Holtz.

 

Serviços:

Vermelho Amargo

Temporada Eva Herz

Até 31 de agosto

De quinta a sábado- 19h30

R$ 30,00 / 15,00 (meia)

R. Sen. Dantas, 45 – Centro/ Rio de Janeiro

Deixar comentário