MUSEU BARTOLOMEU CAMPOS DE QUEIRÓS

Papagaios, cidade natal de Bartolomeu Campos de Queirós, criou uma associação que preserva o legado do escritor e entende sua obra e seus pertences como patrimônio cultural. Atualmente sediada na casa Dona Petita, que o escritor visitou diversas vezes durante a infância, a Associação Cultural Bartolomeu Campos de Queirós (ACBCQ)  é presidida por Rosa Maria Filgueiras, integrante do MBL. Até que se construa um memorial, em um terreno de 2.167 m2, doado pelo governo de Minas Gerais, é ali, entre pertences pessoais do poeta, que a entidade opera. O projeto arquitetônico do futuro memorial também é uma doação do arquiteto Augusto Penna, grande amigo de Bartolomeu.

A Associação está dando continuidade ao Projeto Correspondência, uma iniciativa que congrega estudantes e professores dos municípios de Contagem e Papagaios, em intercâmbios literários de reconhecimento da obra de Bartolomeu.  Os alunos das duas cidades se correspondem, através de cartas em papel – e  não emails – com alunos da mesma série.

No dia 17 de maio, a Associação Cultural realizará uma Bate Papo Literário com pessoas de todas as idades, sobre diversos assuntos literários, incluindo relatos, análises e impressões sobre a obra de Bartolomeu Campos de Queirós.

Uma Resposta para “Um museu para Bartolomeu”

  • maria de lourdes do nascimento |

    Excelente! Bartolomeu disse: ” Minha árvore é casa para tantos passarinhos”. Nos dizemos: Bartolomeu Campos de Queirós é árvore com folhas escritas para tantos leitores.Isso é Brasil Literário. Brasil de Barto que é meu e seu! Brasil da leitura e do leitor. E do Museu dos Xucurus na terra caeté ao Museu do Bartolomeu nas Minas Gerais tantos outros espaços de leituras das histórias e das ficções nesse projeto de leitura que faz o Brasil um país leitor.

Deixar comentário