PUBLICADO POR GIFE EM 25/07/2016

O Movimento por um Brasil Literário (MBL) – do qual fazem parte associados do GIFE, como a Fundação SM, Instituto C&A e Instituto Ecofuturo – acaba de lançar a sua primeira publicação, em formato digital: “No lugar da leitura: biblioteca e formação” (clique aqui para acessar).

Luiz Percival Leme Brito, integrante e conselheiro do MBL, destaca que a iniciativa surge com a proposta de fazer avançar a discussão sobre biblioteca escolar. O tema é central para o Movimento, e de grande relevância para a sociedade brasileira. “Somente aprofundando o debate e oferecendo conteúdo crítico poderemos fazer desse movimento pela leitura algo que não se limite a slogans genéricos em prol da mesma”, ressalta.

O livro traz quatro artigos de Luiz Percival. Ele é doutor em Linguística e professor da Universidade Federal do Oeste do Pará, com atuação na área de Educação e Linguagem como pesquisador e formador de professores. Percival coordena também o Lelit – Grupo de pesquisa e intervenção em leitura, escrita e escola.  Além do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa (PNAIC / Oeste do Pará).

Os textos publicados são resultados de palestras promovidas por Percival no Brasil e na Colômbia sobre as leituras que se dão em bibliotecas.

“Percival é, para mim, um dos pesquisadores brasileiros que melhor refletem sobre a leitura. Tanto na escola e na sociedade. Ressaltando a importância da literatura para a vida de qualquer pessoa. À luz das teorias contemporâneas, ele nos apresenta suas ideias para compreender matéria tão complexa (…). E, o principal, tiram-nos da zona de conforto, levando-nos a questionar o que está posto como verdade. Motiva-nos a querer mudar o sentido de nossas ações, indagando-nos sobre nossa responsabilidade nos espaços em que atuamos, como profissionais da educação e da cultura”. Disse Elizabeth Serra, presidente do MBL, na apresentação do livro.

A proposta do MBL é lançar outras publicações em breve. “A ideia é oferecer à sociedade textos que contribuam para a reflexão e as práticas de formação de leitor. Também para estruturação e manutenção de bibliotecas públicas, escolares e comunitárias, além de ações de fomento à leitura. Os temas versarão sempre sobre questões de leitura. A ênfase é no lema do MBL: ‘Ler, levar a ler e defender o direito de ler literatura’”, comenta o professor.

Atualmente, o Movimento por um Brasil Literário reúne especialistas e instituições, em diferentes regiões do Brasil, com adesões espontâneas. Seus integrantes falam em nome do MBL, abordando temáticas pertinentes à causa em feiras literárias, seminários, debates e palestras.

Atuação

Ao longo destes anos, o MBL já desenvolveu uma série de ações. Entre elas a elaboração do documentário “A palavra conta”, dirigido por Duto Sperry. Este foi enviado para todas as secretarias municipais de educação do país, assim como vinhetas. Estas foram veiculadas na televisão, em horário especial, na Rede Globo. Realizou ainda uma pesquisa para diagnóstico e avaliação da cobertura da imprensa sobre literatura em 2011 e, em 2015. O MBL promoveu também o 1º Seminário Brasil Literário, no Rio de Janeiro. O tema foi “Que é isso que a literatura – e só ela – tem a oferecer que nos põe em movimento?”.

O Movimento conta atualmente ainda com uma rede de Núcleos de Literatura MBL. Esta, aos poucos, tem se constituído pelo país (e um em Bruxelas, na Bélgica).

Deixar comentário