Entrevista com Patrícia Lacerda

1. Para o Movimento por um Brasil literário, a parceria com o Instituto C&A proporcionou grande desenvolvimento institucional e de diversas atividades até hoje, possibilitando sua existência e crescimento como Movimento. O Instituto C&A é um investidor e parceiro que acreditou nesse utopia da construção de um Brasil literário junto com o Movimento. Nesse sentido, qual é o olhar do Instituto C&A para esse apoio ao MBL e o que tem visto como frutos dessa parceria?

O Instituto C&A tem como um dos seus princípios o desenvolvimento do trabalho em rede. Acreditamos que, quando instituições e pessoas que já trabalham por uma mesma causa se unem, esta causa ganha mais força, legitimidade e visibilidade. Desde o seu lançamento em 2009 até o presente momento o Movimento passou por diversas etapas. No início era uma rede mais informal e com a forte marca da presença inspiradora de Bartolomeu de Campos Queiroz que, além de autor do Manifesto Por um Brasil Literário, instigava a todos a pensar criativa e cuidadosamente os rumos do MBL. Atualmente o Movimento está organizado como uma Associação sem fins lucrativos e tem mecanismos de gestão e desenvolvimento mais claros, envolvendo mais pessoas. O Instituto C&A também mudou ao longo destes anos, refletindo e se posicionando com maior consciência sobre seu papel de Investidor Social Privado que promove a ‘Cultura de Doação’, ou seja, que utiliza seus recursos técnicos e financeiros para fortalecer atores e organizações sociais no seu protagonismo na defesa de direitos sociais da população brasileira, especialmente das crianças e adolescentes. Entendemos que, como Movimento Social, o MBL é um ator politico que tem um importante papel a desempenhar na promoção do livro; da leitura literária e das bibliotecas, no nosso país.

2. Por que apoiar o Movimento por um Brasil literário? Em que esse Movimento se diferencia e quais seus potenciais na contribuição para a construção da sociedade brasileira? Por que a escolha de apoiar um Movimento que deseja um país leitor e leitor de literatura?

A compreensão comum de que a leitura literária é um direito que ainda não está escrito, mas que estrutura o acesso a vários outros direitos, dá sentido permanente a essa parceria. Ela está presente no programa Prazer em Ler que o Instituto C&A desenvolve desde 2006 e em varias iniciativas que apoiamos no Brasil. O Movimento por um Brasil Literário, se diferencia pela sua enfase na literatura e não apenas na promoção da leitura. Essa especificidade é muito agregadora, atrai a atenção de inúmeras pessoas que são apaixonadas e se dedicam de algum modo à literatura. Estamos falando de autores, editores, ilustradores, professores, mediadores e também de uma legião de leitores. Advogar a favor dessa causa apaixonante remete a uma responsabilidade diante do desafio de valorizar simbolicamente a literatura na cultura brasileira. Ainda costumamos ouvir que ler literatura é uma atividade elitista ou até perda de tempo. Portanto, há um longo caminho ainda a ser percorrido.

3. Qual sua visão sobre a estruturação em rede do MBL e o que ela proporciona para a mobilização por um Brasil literário? Em que ela pode se inspirar para desenvolver mais seu pilar mobilizador?

Quando o desejo de construção de um Brasil Literário se manifesta por meio de um Movimento, nasce a intenção de abertura para a ação em rede. Movimento pressupõe pluralidade, ação horizontalizada, múltiplas possibilidades de contribuição. A existência de um site, uma plataforma que congrega e acolhe as pessoas que querem participar do Movimento é um passo importantíssimo. E o numero de conexões só vem aumentando. Mas, se o Movimento quer ter uma ação mais efetiva, um impacto na agenda social do setor, precisa estruturar outras formas de ação. Aí entra a constituição dos Núcleos Regionais e outras estratégias para dar maior capilaridade e concretude à atuação do MBL. Observamos que uma causa clara atrelada e a disposição de ocupar espaços de luta são fatores que fazem avançar os Movimentos. Tivemos recentemente o exemplo do Movimento Passe Livre que trouxe à tona a questão da Mobilidade Urbana como um ponto fundamental da agenda nacional que estava sendo subrepresentado. A Campanha Nacional pelo Direito à Educação é outro exemplo de movimento que congrega mais de 200 instituições e teve um papel destacado no debate e vitórias sobre financiamento da Educação no Brasil.

Vivemos uma situação aparentemente paradoxal: temos Plano Nacional de Livro e Leitura, temos uma produção literária de qualidade, temos feiras e festas literárias se consolidando, a afluência de milhares de pessoas às bienais de livros e um contingente imenso de pessoas sem a experiência da leitura de literatura. Eis aí um cenario muito interessante para a ação instigadora do Movimento por um Brasil Literario.

 

Depoimento de Volnei Canônica

“Participo do Movimento por um Brasil literário desde sua criação em 2009. Nesta época prestava assessoria para Feira do Livro de Caxias do Sul e fizemos uma ação para divulgar o MBL e buscar novos participantes do Movimento. Depois tive a oportunidade de colaborar com muitas ações desenvolvidas pelo MBL.

O MBL tem realizado um importante papel de disseminação e construção de reflexões estruturantes para a efetivação da Literatura como um direito.

Pra mim, o Movimento representa o desejo de pessoas e instituições de refletir sobre a importância do acesso à leitura literária para todos. Em um país tão grande e diverso como o nosso ter um movimento que agrega Núcleos de discussões em torno do direito à Literatura é muito importante para construirmos um Brasil mais justo e igualitário.

Um por todos e todos por um Brasil de leitores!

Volnei Canônica é especialista em Literatura Infantil e Juvenil, escritor, coordenador do programa Prazer em Ler – Instituto C&A e colaborador do Centro de Leitura Quindim – Núcleo do MBL

 

Uma Resposta para “Instituto C&A conta sua parceria com MBL”

  • Lygia Dias de Toledo |

    Parabéns a todos! Juiz de Fora, de maneira honrosa, contou com palestras de Ninfa Parreiras e Volnei Canônica, a convite da Associação de Amigos da Biblioteca Municipal Murilo Mendes – AABIM- MM. Acompanhamos as andanças de vocês e, quem sabe ainda teremos a oportunidade de novos encontros, por aqui…

Deixar comentário