Por 12 dias, 40 mil crianças, adolescentes e até adultos movimentaram o Salão FNLIJ do Livro para Crianças e Jovens, que chegou esse ano a 16º edição. Patrocinado pela Petrobras desde 2001, o evento conta com apoio da Prefeitura do Rio, através das Secretarias Municipais de Educação e de Cultura, do Instituto C&A e da UNIMED. Voltado prioritariamente para contribuir com a valorização da cultura escrita por meio da literatura, o Salão FNLIJ homenageou a Argentina e teve mais de 170 lançamentos, presença de cerca de 180 autores que apresentaram suas obras e participaram de encontros e bate-papo com o público. Sessenta e sete editoras disponibilizaram para venda 11 mil livros em seus estandes. 720 escolas, entre instituições municipais e particulares, compareceram ao Salão FNLIJ desse ano. Foram distribuídos ainda 25 mil livros para as crianças e jovens que estiveram no evento.

Logo no primeiro dia, 28 de maio, a cerimônia de entrega do prêmio FNLIJ, que comemorou 40 anos de existência, lotou o auditório do Centro de Convenções SulAmérica, onde estiveram presentes Ferreira Gullar, um dos vencedores na categoria “Criança”, por “Bichos do Lixo”, e Miriam Leitão, premiada na categoria “Revelação”, pelo livro “A perigosa vida dos passarinhos pequenos”. Foi realizado, também na abertura, o 5º Encontro Nacional do Varejo do Livro Infantil e Juvenil, com participação de representantes da Associação Nacional de Livrarias, Associação Estadual de Livrarias do Rio de Janeiro, Câmara Brasileira do Livro, além de livreiros, como Mileide Flores, da Livraria Feira do Livro (Ceará) e Maria Osório, da Livraria Babel, de Bogotá (Colômbia) e Laura Giussani, da Associação de Literatura Infantil e Juvenil da Argentina.

A Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil lançou no 16º Salão FNLIJ o catálogo a “A arte de ilustrar livros para crianças e jovens no Brasil”, um material baseado na exposição do Salão FNLIJ de 2013. O livro destaca 120 ilustradores brasileiros e suas criações e tem como objetivo valorizar a ilustração e os autores que trabalham para crianças e jovens. O projeto conta com uma lista diversificada de ilustradores. Os critérios de escolha se basearam entre três categorias: artistas pioneiros e considerados Hors-Concours pela FNLIJ; indicados ao Prêmio Hans Christian Andersen; e ilustradores selecionados para outros prêmios no cenário nacional e internacional. A venda foi realizada exclusivamente durante o 16º Salão FNLIJ nos estandes de editoras. Os 40 anos do Prêmio FNLIJ também foram comemorados com uma exposição apresentando as capas de todos os 420 títulos já reconhecidos pela Fundação. Para acompanhar a exposição, uma brochura com a lista dos títulos e editoras, importante material de referência para composição de acervo literário.

“Festa do Pijama” e “Feio, Bonito”, de Ziraldo, foram alguns dos lançamentos de livros que ocorreram no Salão FNLIJ. Outras novidades que passaram pelo evento foram “O beijo negado”, de Pedro Bandeira, “Diário de Pillar em Machu Picchu”, de Flávia Lins e Silva, “A árvore de Tamoromu”, de Ana Luísa Lacombe, entre outros. Os autores foram também atrações de encontros com o público. Heloísa Seixas, Ruy Castro e Marina Colasanti foram alguns dos nomes que responderam perguntas sobre carreira e literatura. Uma das atividades que mais empolgou os pequenos e também os jovens foi a performance de ilustrador. Isol, argentina vencedora do prêmio ALMA de 2013, ilustrou junto com o brasileiro Roger Mello, que conquistou o prêmio Hans Christian Andersen de ilustrador desse ano, indicado pela Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil. Nelson Cruz, Jô Oliveira, Eliardo França, Michele Iacocca, Maurício Negro, Marilda Castanha e Ciça Fittipaldi também participaram e encantaram a todos com suas ilustrações.

Os três dias de Seminário Bartolomeu Campos de Queirós trataram da literatura argentina, da literatura indígena e das mudanças da literatura infantil e juvenil de 40 anos para cá, tomando como marca o 14ºCongresso IBBY 1974, no Rio de Janeiro. Participaram do ciclo de palestras especialistas em literatura infantil e juvenil como as argentinas Nora Lía Sormani, da Associação de Literatura Infantil e Juvenil da Argentina, e Susana Allori, do Centro de Difusão e Investigação da Literatura Infantil e Juvenil; os escritores Kaká Verá, Ailton Krenak e Marcelo Munduruku; Laura Sandroni, membro da Comissão Executiva do 14º Congresso do IBBY.

Os “Encontros Paralelos FNLIJ/PETROBRAS”, série de debates voltada para o público adulto, trouxeram à tona temas como “Literatura em Cena”, com participação de Walcyr Carrasco; “Incontáveis Linhas, Incontáveis Histórias: A ilustração Brasileira em Destaque”, com Roger Mello, Rui de Oliveira, entre outros. “Primavera dos Clássicos” foi assunto para Marina Colasanti, Antônio Torres, Godofredo de Oliveira Neto e Nélida Piñon, que discutiram sobre a relevância dos tradicionais autores da literatura. “A acessibilidade à literatura infantil e juvenil”, com fala de representantes do Movimento Down, Instituto Benjamin Constant, Instituto Nacional de Educação de Surdos e Fundação Dorina Nowill, foi outro tema que mereceu atenção.

Além da exposição de 40 anos do Prêmio FNLIJ, a mostra “Roger Mello e seus jardins” também compôs o ambiente do 16º Salão FNLIJ no Centro de Convenções SulAmérica, com ilustrações e objetos pessoais do artista e um vídeo com depoimentos dele sobre cada uma de suas mais importantes obras.

Os presentes ainda aproveitaram as bibliotecas com acervo específico para cada tipo de público: Biblioteca FNLIJ Petrobras para Crianças, Biblioteca FNLIJ para Jovens, Biblioteca FNLIJ para Educadores, Biblioteca FNLIJ para Bebês.

 

Deixar comentário