Conversamos com Pilar Lacerda, Diretora da Fundação SM, parceira do Movimento por um Brasil literário. Pilar contou um pouco sua visão sobre a importância da formação de um país de leitores e também sobre as potencialidades da escola na formação de leitores de literatura. Confira!

Movimento por um Brasil literário – De que maneira o Movimento alinha-se aos princípios da Fundação SM? Como essa parceria tem contribuído e pode contribuir com o trabalho conjunto com o MBL e as ações da Fundação?

Pilar Lacerda – Um dos quatro eixos de atuação da Fundação SM é o Fomento à Literatura e a Produção Literária para crianças e jovens. Acreditamos que a leitura literária é uma prática social forte, capaz de ampliar a autonomia e o olhar crítico do sujeito diante da sua realidade. Por isso, entendemos que através do Movimento por um Brasil literário podemos unir esforços para ampliar e fortalecer as ações que estão sendo desenvolvidas neste âmbito.

Movimento por um Brasil literário – Em que o Movimento por um Brasil literário se diferencia e quais seus potenciais na contribuição para a construção da sociedade brasileira? Por que a escolha de ser parceiro de um Movimento que deseja um país leitor e leitor de literatura.

Pilar Lacerda – O MBL é um movimento que reúne pessoas e organizações que buscam contribuir com uma sociedade leitora e que entendem o acesso à leitura literária como um direito e estes são princípios potentes e transformadores. Alinhados a estes ideais, sentimos o desejo de colaborar e fazer parte do movimento, pois acreditamos que a união de esforços, entre organizações e pessoas, pode potencializar e fortalecer as ações individuais na disseminação do valor social da leitura e acesso à literatura.

Movimento por um Brasil literário – Qual a relação e a importância da leitura literária na educação? Qual a sua visão sobre a presença da literatura na formação das crianças e jovens no Brasil e no mundo hoje?

Pilar Lacerda – A escola tem como uma de suas funções principais a formação do indivíduo leitor, pois ela ocupa o espaço privilegiado de acesso à leitura. É imprescindível que a escola crie possibilidades para o desenvolvimento do gosto pela leitura.

Entendemos que este acesso vai muito além da melhoria de oportunidades para a aquisição do conhecimento. É uma prática social que amplia a compreensão da diversidade de significados, cria possibilidades de construção de um mundo interno mais amplo e colabora com o exercício da subjetividade, competências essenciais para o enfrentamento das mais diversas situações e contextos que compõem a vida em sociedade.

Uma Resposta para ““A escola tem como uma de suas funções principais a formação do indivíduo leitor”, afirma Pilar Lacerda, Diretora da Fundação SM”

Deixar comentário